Skip to content

Porque a Grécia? Parte 1: O povo grego ama meus filhos.

janeiro 7, 2016

O título é sério. Aos 18 meses de vida minha filha fez sua estréia na Grécia, andando pelas ruas de paralelepípedo ela mais caia do que andava, os pezinhos se prendiam entre os blocos e ela certamente ia de encontro ao chão quando não estava segurando nossas mãos (esta área era de pedestres somente). Como pais nós pedíamos que ela se levantasse e continuasse andando, sem fazer muita comoção para que ela não chorasse. Cada vez que ela caia era inevitável vir um grego (geralmente um senhor ou senhora) lamentando em voz alta a garotinha no chão, vindo correndo para ajudá-la a levantar-se e fazendo um monte de perguntas em grego que não entendíamos mas certamente estava perguntando se ela estava bem. Nós agradecíamos em grego e seguiamos em nossa jornada e eu me perguntando se estava sendo uma boa mãe. Em restaurantes e bares meus filhos ganhavam balas e doces, numa emergência uma senhora deixou meu filho usar o banheiro de seu estabelecimento comercial e me disse que ela só estava fazendo isso porque ele era uma criança, eu pedia que meus filhos agradecessem em grego e nós seguíamos com nossas vidas.

Retornando em casa, eu estava no supermercado quando meu filho pediu para eu comprar sorvete e eu neguei, ele abriu a boca e chorou alto, eu disse que já tínhamos sorvete em casa e que não iria comprar mais e eis que se aproxima uma senhora de cabelos brancos e disse para ele “não é apropriado chorar em supermercados”. Olhei para a senhora, ignorei o comentário e imediatemente senti saudades do povo grego, certamente um senhor ou senhora grego iria dar balas para consolar meu filho e fazer um monte de perguntas em grego para saber se estava bem. Até mais.

Anúncios

From → Papo de Viajante

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: