Skip to content

Causos de viajante: Italians on a plane

setembro 10, 2015

Estive em Roma cinco vezes desde que comecei a viajar, sempre me encantei com a Itália, sua cultura, comida e com os italianos sempre, digamos assim, bem calorosos.

Após um grande hiato entre minhas visitas à Itália eu retornei a Roma em Julho deste ano, o calor nas ruas continuava o mesmo mas os romanos estavam diferentes, não ouvia mais o celular tocando no som mais alto possível, os gestos dos romanos conversando nas ruas eram mais delicados, menos ofegante. Por um momento senti falta de ver os italianos andando nas ruas usando seus melhores ternos e falando “PRONTO!” ao telefone enquanto seguiam seus caminhos apressados ou para o trabalho ou para a casa.

Passamos dias incríveis em Roma e ainda tivemos um dia que pegamos o trem e fomosà  praia para que meus filhos pequenos tivessem a oportunidade de brincar na praia depois de tanta andação pela cidade. No último dia pegamos um táxi ao aeroporto de Ciampino, enfrentamos a fila do check-in e passamos pela segurança e eis que começamos a vivenciar la dolce vita cujos eventos eu descrevo logo abaixo.

O aeroporto estava em obras, uma britadeira funcionando com força total bem ao lado do portão de embarque pelo qual usariamos, por causa da britadeira estar sendo usada os auto-falantes estavam no último som para que os passageiros pudessem ouvir os chamados para seus voos. Um pouco caótico porém compreensível, dá para levar a vida. Trinta minutos antes da primeira chamada para embarque os passageiros se aglomeravam em volta do portão sem nenhum critério lógico. O portão se abre no horário certo e todos os passageiros começam a se espremer aleatoriamente. Dentro do avião os comissários de bordo começam a dar instruções de segurança e uma criança atrás de mim começa chorar muito, para compensar a diferença no volume do som, os comissários aumentaram o tom de voz. Todos sentados com o cinto de segurança e meu marido foi pedido para trocar de lugar duas vezes em que ele educadamente negou para que ficasse próximo de mim e dos nossos filhos, se bem que, seria loucura trocar um assento no corredor por um no meio (!?). A senhora sentada a minha frente passou uma fralda (limpa) por cima de mim e entregou a para a senhora com a criança que já nesta altura estava gritando no avião. A senhora de trás imediatamente coloca a fralda na criança assim, na frente de todos, sem a menor discrição. O avião finalmente decola, a criança se acalma e consegue usar o banheiro. Quinze minutos antes de aterrisar começo ver pela janelinha do avião as belezas das praias gregas, que cor de mar, que barulho é esse? A senhora atrás de mim começou a fazer cócegas na criança e ela ria até a senhora não aguentar mais a farra toda e começou a falar em tom alto: “Basta! Basta!”. No final do voo comentei com meu marido que iria sempre me lembrar desta jornada na hora de reclamar do comportamento de nossos filhos. Romans, you never disappoint me. Até mais.

Anúncios

From → Papo de Viajante

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: