Skip to content

Coisas do passado

abril 15, 2013

Ontem em conversa com minha mãe estava relembrando de como as coisas eram num passado próximo, ainda garota nos anos 80 e início dos 90, eu me lembro que ter passaporte era coisa de pessoas privilegiadas, andar de avião então, só com muito dinheiro no bolso. Lembram-se das propagandas de uísque onde se aparecia uma chave de carro junto com um passaporte? Nunca pensei que eu fosse ter um passaporte na vida até que tive a oportunidade de viajar pela primeira vez para fora do Brasil e fui até o posto da polícia federal em São Sebastião, SP e cheguei de manhã e peguei meu passaporte no início da tarde.

A turma da faculdade tinha ido a um encontro nacional em Maceió de ônibus que partiria de São Paulo e levava cerca de três a quatro dias para se chegar lá, hoje em dia isso é impensável, todos vão de avião e em poucas horas é possível chegar no hotel, façamos as contas: 1,5 hora até o aeroporto (São Paulo), 1 hora para fazer o check-in e embarque, 4 horas de avião e mais uma 1,5 hora para desembarque e chegada ao hotel, em cerca de 8 horas agora é possível fazer aquilo que levavamos quatro dias. Ir de avião nem era considerado uma opção, eu fiquei em casa porque passar dias num ônibus para mim seria uma tortura.

Quando eu ia ao aeroporto Internacional de São Paulo recepcionar membros da família vindo do exterior ou acompanhar alguém a embarcar, o local era calmo, com pouquíssimas pessoas transitando e estas estavam indo ou a Europa ou a Disney, meu pai tinha um recorte de jornal na parede da varanda com os horários dos voos saindo de Guarulhos e sempre que víamos um avião partindo de Guarulhos iamos correndo ver no horário para onde o avião estava indo, super-simples. Hoje você vê gente indo e vindo não somente dos EUA e do continente europeu mas também da África, Oriente Médio e toda América Latina.

Quando amigos e parentes retornavam da Europa constumávamos perguntar: por quantos países você passou? Era comum responder 6 ou 7 países em 30 dias, afinal de contas a passagem aérea era super cara e não tínhamos idéia que algum dia era possível voltar. Hoje passamos duas semanas na Europa e voltamos em um ou dois anos e viajar com mais calma e aproveitando bem cada lugar visitado.

Viajar de avião era considerado um luxo, os talheres não eram de plástico mas sim de aço inoxidável, comida e bebidas a bordo eram preparadas por chefs e havia tudo de bom, principalmente as sobremesas, hoje para manter os preços competitivos somos servidos com coca-cola e amendoim. Prefiro as coisas assim, se tudo isso não tivesse mudado eu seria uma das que nunca teria um passaporte em mãos.

Até mais.

Anúncios

From → Papo de Viajante

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: