Skip to content

Preparação

abril 4, 2011

Viajar ao exterior é sempre animador. Eu acredito que nós, brasileiros, temos uma curiosidade natural sobre como são “as coisas” fora do Brasil. Quando minha prima retornava dos Estados Unidos após anos longe a pergunta que mais fazíamos era “como é que é lá?”. Quem nunca ouviu isto quando retornou de uma viagem?

Costumo dizer que qualquer viagem de férias é um investimento alto não somente financeiro mas também espiritual, sair da rotina de trabalho e apreciar novos lugares e culturas nos enriquece emocionalmente e ter problemas durante a tão sonhada e esperada viagem pode nos decepcionar. Dificuldades durante uma viagem podem ser inevitáveis em alguns momentos e, caso não seja uma tragédia, o importante é encarar e resolver estes obstáculos sem deixar que o mau-humor e raiva tomem conta da situação. Rir de nós mesmos ou de nossas “trapalhadas” é tão bom quanto ouvir uma boa piada.

Após anos de experiência descobri que “preparação” e “planejamento” são palavras-chave para definir o sucesso de sua viagem e evitar ou reduzir as chances de se ter  problemas durante uma viagem principalmente se optar por viajar por conta própria e não pela compra de um pacote de viagens.

Planejar uma viagem ao exterior é tão animador quanto o próprio ato de viajar. As principais atividades durante essa fase incluem: escolher os locais a serem visitados, pesquisá-los na internet e guias, conversar com amigos sobre sugestões e dicas, procurar hotéis e meios de transportes, abrir o mapa das localidades analisá-lo, calcular orçamento, comprar passagens aéreas e de trem. Para auxiliar meu trabalho de pesquisa, costumo montar um cronograma e orçamento junto com um check-list que inclui items a serem levados.

Preparar-se inclui as seguintes tarefas: anotar telefones de emergência e levar consigo na viagem (embaixadas, consulado, bancos, administradora de cartões de crédito, parentes e amigos, etc.), guia básico de idioma local, estar atento o tempo todo, buscar informações, vestimenta e sapatos adequados, cartões de crédito adicionais, dinheiro de reserva, cópia de documentos para levar consigo ou deixar com alguém de confiança. Durante uma viagem imprevistos podem acontecer a qualquer momento e estar preparado para eles sempre ajuda na solução. Quando leio sobre imprevistos vejo que a maioria é relacionada a mudanças de roteiros, atraso/perda de vôos, roubo ou perda de documentos/dinheiro e hotéis não satisfatórios. Com paciência e informação esses itens podem ser resolvidos da melhor forma possível e aqui vão algumas dicas: confirme seu vôo com antecedência e acompanhe o status online, se for atrasar ou ser cancelado negocie diretamente com a companhia aérea para ser remanejado para outro vôo; seja cuidadoso, todos cuidados de segurança que tem no Brasil deve ser aplicados no exterior; se o hotel é insatisfatório converse com o gerente e peça por um quarto melhor ou simplesmente troque de hotel se não houver penalidades.

Se até hoje nunca estive envolvida com problemas ou decepções durante minhas viagens é porque dedico muito tempo ao planejamento e preparação, são inúmeras horas que gasto na internet, com guias e conversas com amigos pesquisando e me informando. Geralmente inicio estas atividades cerca de seis ou sete meses antes do dia de pegar o avião, porém o orçamento é determinado com cerca de um ano de antecedência, dessa forma, tenho tempo para poupar.

Devo admitir também que um pouco de sorte e destino ajuda nos momentos difíceis, como no dia em que estava na estação Termini em Roma indo para Nápoles, no sul da Itália. O trem partiria em 10 minutos e ainda não sabia em qual a plataforma deveria estar, os minutos passavam e ninguém conseguia me instruir corretamente. Os monitores não ajudavam muito pois listavam diferentes destinos. Faltando cerca de 5 minutos resolvi andar em direção à fila de informação que era enorme e desencorajante quando num passar de olhos achei que tinha visto um horário ferroviário pregado à parede, parei e voltei ao local. Neste cronograma identifiquei um trem com mesmo horário de partida anotado em minha passagem e com destino final de Reggio di Calabria e no detalhe vi que estava programada uma parada em Nápoles. Gritei na hora “achei!”. Lembrava-me que havia um trem parado na plataforma com destino à Reggio di Calabria. A correria foi grande para entrar no vagão que partiria em poucos minutos. Nestas situações sugiro sempre manter um pensamento positivo, às vezes funciona.

 

Anúncios

Comentários encerrados.

%d blogueiros gostam disto: