Skip to content

Último post

Pessoal, estou me despedindo do blog, foi um prazer escrever para vocês durantes todos estes anos. Até mais.

Anúncios

Planejar é preciso.

Estou lendo há dias que o governo Americano está seriamente pensando em banir laptops e iPads das cabines dos aviões dos voos transatlânticos, isto é, entre os Estados Unidos e Europa. Muitas reuniões estão sendo feitas mas ainda não há resoluções. Agora no mês de junho inicia-se a altíssima temporada do verão, as crianças estão de férias em ambos continentes e as famílias começam a viajar, incluindo a minha. Estamos nos preparando para mais uma aventura neste verão, três semanas no velho continente e como sei que este assunto está pendente e que a qualquer momento uma resolução pode sair, eu já sai na rua e comprei livros e revistas de atividades para meus filhos. Nosso voo mais longo será de 11 horas entre Los Angeles e Frankfurt e depois, cerca de 10 horas entre Viena e Washington Dulles. Já imaginou passar todo este tempo com crianças sem entretenimento? Impossível. Já vi que em ambos os voos existem entretenimento a bordo porém não confio na capacidade das cias aéreas em garantir que o sistema de entretenimento estará disponível: dois anos atrás meu marido fez o voo da Air Canada entre Atenas e Montreal com o equipamento de entreternimento desligado no avião porque não estava funcionado, segundo meu marido, estas foram 10 horas de pura chatice. Já imaginou se estivesse neste voo com duas crianças? Nem gosto de imaginar isso, como sou precavida e assumo a responsabilidade de entreter meus filhos eu fui na livraria e já garanti o entreternimento. Também esta na minha lista levar jogos que tenho em casa: baralho e cartas de Uno. Abaixo uma foto dos livros de atividades que podemos, ou não usar. Até mais.

FullSizeRender

Farmácinha da bolsa de viagem.

Esta é uma dica das boas, que remédios trazer na bolsa dentro do avião em viagens longas? Eu sempre considero que viajar de avião é muito incerto, atrasos e cancelamentos ocorrem sempre. Procuro trazer comigo remédios considerando que não terei acesso à uma farmácia ou médico por 24 horas.

Os remédios que trago dentro da bolsa são:

  • Anti-ácido para o estômago
  • Tylenol para febres (trago em dosagem para crianças também)
  • Anti-diarréia
  • Alergias (como Zyrtec)
  • Pastilhas para tosse porque o interior dos aviões é muito seco.

Remédios prescritos por médicos devem sempre ser levados dentro da bolsa também, acho muito arriscado despachar remédios prescritos na mala. Até mais.

IMG_2708

Lenços umedecidos

Eu já contei sobre os lenços umedecidos que uso em viagens? Estes lenços na verdade são papéis higiênicos umedecidos e que nos Estados Unidos podem ser usandos nas descargas. Eu sempre levo na bolsa um pacote de lenços, eles são úteis para limpar mãos e rostos sujos. Ajudam também a limpar o suor depois de uma caminha longa sob o sol quente. O pacote é pequeno e não faz volume na bolsa, uma mão-na-roda para viagens. Até mais.

Capture

Causos de viagem: o bendito do jet-lag.

Esse causo de viagem ocorreu há muitos anos, antes de aprender a como lidar corretamente com o famoso jet-lag após uma viagem longa de avião. Chegamos em Roma após cerca de 18 horas de viagem, geralmente quando se sai dos Estados Unidos em direção à Europa os voos costumam chegar no meio da tarde, horário Europeu. Entramos no quarto do hotel e quando vi a cama cai na besteira de deitar-me, meu marido super cansado também seguiu a minha sugestão de deitar-se por uns “15 minutos”. Erro enorme! Acordamos às 23 hrs descansados e estávamos presos no quarto, não dava para assistir TV porque não falamos italiano e como sou brasileira estava receosa de sair no meio da noite. Ficamos os dois olhando para o teto e pensando na besteira que fizemos de dormir durante a tarde toda, que desperdício de tempo precioso. Estávamos em Roma e perdendo tempo. Não conseguíamos voltar a dormir e andando pelo quarto me aproximei da janela. Estávamos muito próximos ao Spanish Steps. Na quietude da noite, pela janela eu vi poucos carros se movimentando pela rua, momentos mais tarde vi uma família, o marido com a esposa segurando a mão de uma criança pequena e logo atrás uma senhora junto empurrando um carrinho com outra criança ainda mais pequena. Pensei comigo, “uau, que coragem desta família de andar sozinhos a essa hora na rua”. Momentos em seguida e vi um casal de velhinhos andando no outro lado da calçada e mãos dadas, pensei comigo “que coincidência! Esse povo tem coragem de andar na rua tão tarde”. Quando eu vi que as próximas pessoas andando na rua era outra família, minha coragem subiu à cabeça. Não era possível que estava vendo crianças e família andando na rua às 23:30 horas e eu dentro do hotel morrendo de medo de sair. Chamei meu marido que estava procurando um canal na TV e disse “nós vamos sair agora, se não for seguro, voltamos”, meu marido concordou.

Saímos na rua e só voltamos as três da madrugada, cansados e com um sorriso enorme no rosto. As ruas estavam cheias de romanos e turistas, congestionamento de carros por todos os lados, mulheres lindas tentando chegar aos bares e clubes da cidade. Uma atmosfesta de paz, alegria e segurança. Nunca vou me esquecer daquela noite, não foi preciso rios de dinheiro, ou álcool para termos tido uma noite tão agradável. Tomamos um sorvete e exploramos a cidade à pé por horas até cansarmos.

Hoje em dia com crianças pequenas não me arrisco muito a sair a noite com eles, quem sabe quando forem maiores. Por enquanto para reduzir os efeitos do jet-lag eu faço exercícios físicos no dia do embarque para ter um bom descanso no avião e quando chegamos no hotel, deixamos as malas no quarto e saimos em seguida do hotel para evitar a tentação de deitar na cama. Rodamos bem o local onde estamos e vamo dormir no início da noite (19 ou 20 horas), acordamos super cedo no dia seguinte e praticamente adaptados ao horário do local. Até mais.

 

Viajando com crianças em aviões.

Já se passou a época em que eu viajava com mochila nas costas cheia fraldas, leite em pó e mamadeiras. Até hoje olho para trás e não consigo mais recordar como viajei sozinha com meus filhos quando eles ainda eram bebês. Lembro-me de muitas vezes pedir aos comissários de voo segurarem meus filhos no colo para eu poder usar o banheiro do avião. Hoje, com meus filhos mais velhos (sem fraldas), eu organizo as mochilas de viagem da seguinte forma:

  • Lanches como biscoitos e bolachas
  • Água comprada após passarmos pela segurança
  • Ipad com desenhos animados e joguinhos apropriados para a idade deles
  • Fones de ouvidos decentes (porque os que as cias aéreas distribuem são horríveis)
  • Livros de atividades e lápis de cor ou de cera
  • Uma muda de roupa (incluindo roupa íntima)
  • Um agasalho porque sempre faz frio dentro dos aviões
  • Lenços antibacteriais para limpar a tampa das privadas em aeroportos e no avião
  • Álcool gel para desinfectar os assentos e mesinhas
  • Lenços de papel porque sempre há algo derramado

Eu geralmente peço para eles usarem roupas confortáveis como calças, meias e calçados da marca Keens. Estes calçados são ótimos para o verão, tanto para andar pelas cidades como para ir à praia e piscina. Esta versatilidade permite que meus filhos viajem com este calçado e mais um chinelo de dedos (sempre da marca Havaianas) na mala. Até mais.

AirBNB realmente vale a pena?

Por enquanto não estou encontrando razões para alugar uma casa na Europa pelo AirBNB. Está saindo mais caro que ficar em hotéis. Fiz reservas de hotéis para três pessoas de frente para o mar e com piscina e café da manhã incluido por cerca de €100/noite. O aluguel mais barato pela AirBNB sai por cerca de €75, numa casa relativamente longe, sem piscina, sem café da manhã ou garantia de segurança e sem as taxas de limpeza e de manutenção do site.

Já faz meses que estou procurando e fazendo comparações e não encontro a vantagem, prefiro gastar um pouco mais e ficar num hotel e que eu chego, recebo as chaves, vou para o quarto e em seguida já estou na praia ou piscina. Até mais.